Leonard Mlodinow, físico, escritor e sobrevivente do 11 de setembro

A queda do World Trade Center no dia 11 de setembro de 2001 completa 10 anos. Uma marca permanente na história, principalmente para aqueles que sobreviveram para contar o que aconteceu. No terraço de um luxuoso hotel na Barra da Tijuca, Rio de Janeiro, o físico americano Leonard Mlodinow observava o pôr do Sol que desenhava a paisagem urbana da cidade carioca. Não só ele, vários outros turistas estrangeiros faziam o mesmo em uma piscina a poucos metros de onde o escritor conversou comigo, durante a tarde de quinta-feira.
Ao longe, um avião passava silencioso. Interrompendo bruscamente uma resposta que dava, o escritor questionou, apreensivo: “Está vendo aquele avião? Ele não estaria muito inclinado?”. O que há poucos instantes era um momento relaxante se transformou em uma repentina explosão de lembranças do 11 de setembro. Um único avião, a milhares de metros de distância, um minúsculo detalhe no céu, foi capaz de tirar a concentração do físico e trazer o atentado terrorista à tona. “Não, é apenas o ângulo que ele está em relação a nós”, respirou aliviado depois de analisar a cena melhor.
Mlodinov, que recentemente foi coautor do livro O Grande Projeto, junto com o físico britânico Stephen Hawking, foi um sobrevivente do atentado às torres gêmeas. No dia do ataque, o escritor acabara de deixar o filho na escola que ficava a dois quarteirões do complexo e, quando estava a caminho da estação de metrô do WTC, o primeiro avião atingiu a torre norte. “Lembro de tudo, como se fosse hoje”, disse. “Depois do acidente, toda vez que vejo um avião voando muito baixo acho que está acontecendo tudo de novo”.
Pela segunda vez no Brasil, Mlodinov veio participar da Bienal do Livro no Rio de Janeiro para divulgar O Andar do Bêbado, um livro que fala sobre a influência do acaso em nossas vidas. O título é um dos mais vendidos no Brasil há mais de um ano. Atualmente, além de escrever livros de divulgação da ciência, o físico vive em Los Angeles e dá aula no Instituto de Tecnologia da Califórnia, na cidade de Pasadena. Autor de vários títulos, Mlodinov também já escreveu para as séries Star Trek e McGyver. Fã de basquete, culinária e pintura a óleo, o físico contou mais detalhes sobre o dia do atentado, como é trabalhar com Stephen Hawking, considerada uma das mentes mais brilhantes da atualidade, e porque não precisamos de Deus para explicar o universo, tema central de O Grande Projeto.
Confira a entrevista na íntegra no site de VEJA.