Loja de aplicativos HTML5 para celulares é ideia ingênua por enquanto

Lembra quando o Steve Jobs disse pra todo mundo que o único jeito de fazer aplicativos para o iPhone seria utilizando HTML5 e o Safari? Rapidinho ele mudou de ideia. A comunidade já havia transformado o desenvolvimento de aplicativos nativos no engordurado celular um caminho sem volta. Hoje, a App Store é o que toda loja de aplicativos de celular queria ser. Pois é. Com quatro anos de lag, uma empresa anunciou o lançamento de uma loja de aplicativos em HTML5 chamada Zeewee. Outra, chamada OpenAppMkt, já tinha feito algo semelhante em julho de 2010 e imita a loja de aplicativos para o iPhone muito bem. A diferença entre as duas lojas é que a OpenAppMkt só funciona em dispositivos de Cupertino. A vantagem dessa nova loja de nome horroroso, contudo, é que os aplicativos rodam em qualquer sistema móvel que dê suporte ao HTML5, incluindo os Adroid(e)s, Symbians e TVs. Bem, é o que a empresa afirma. A loja está em fase beta há duas semanas. Sabe a Web Store do Chrome? É quase isso. A ideia é boa, mas ingênua, pelo menos por enquanto. 
Zeewe é uma loja de aplicativos que rodam a partir do navegador dos celulares, porém com os encantos de magia negra do HTML5. A empresa de origem latino-americana quer atrair desenvolvedores com a promessa de um simples sistema de microcobranças e amplo suporte às plataformas que vêm com o novo padrão da web embutido. A loja já teve 100.000 visitas únicas em uma semana, 10.000 usuários registrados e quase tudo de graça. O press-release pomposo, cheio de “Ipads” e Iphones”, repleto de números superlativos, no entanto, escondeu o fato de que a loja possui menos de 300 aplicativos no momento. E mesmo esse número invesramente meteórico consiste, basicamente, em um agrupamento de favoritos. A mesma crítica que a Web Store do Chrome recebe até hoje.
O notável é a possibilidade de rodar os aplicativos em todas as plataformas móveis que dão suporte ao HTML5. Sob o ponto de vista da programação e distribuição dos aplicativos, esse é o paraíso para os desenvolvedores. O problema é a cultura de distribuição e nível de qualidade que a App Store e lojas semelhantes já consolidaram. Aplicativos em HTML5, apesar de bonitos e muitas vezes surpreendentes, ainda não conseguem atingir o mesmo patamar de complexidade dos programas nativos. Seriam necessárias muitas mudanças na forma como o HTML5 interage com o hardware para que as duas maneiras fossem colocadas em paridade. Se não há consenso nem no codec de vídeo base para o protocolo, é melhor não esperar de pé.