5 milhões de senhas do Gmail vazaram. Saiba o que fazer

5 milhões de senhas do Gmail vazaram. Mesmo que a sua não tenha sido comprometida, você pode aumentar a segurança da sua conta

Mesmo que a sua não tenha sido comprometida, você pode aumentar a segurança da sua conta

Quase 5 milhões de senhas de usuários do gmail foram publicadas em um fórum russo nesta terça. De acordo com representantes do Google, procurado por publicações que veicularam a notícia nesta quarta, muitas dessas contas estão desativadas ou as senhas foram trocadas. Disseram ainda que as senhas não foram coletadas comprometendo os servidores da empresa, mas por meio de estratégias de phishing e adivinhação. No entanto, o usuário que vazou as informações, chamado tvskit, disse que 60% das senhas ainda funcionam.

Usuário que vazou informações também postou uma imagem mostrando o conteúdo do arquivo que tem as senhas

Usuário que vazou informações também postou uma imagem mostrando o conteúdo do arquivo que tem as senhas

A primeira coisa que você deve fazer é ativar a autenticação em dois passos, independente se sua senha vazou ou não. Funciona bem parecido com a autenticação de bancos, em que você entra com a senha e um número adicional, gerado por um aplicativo ou recebido via SMS. Ou seja, mesmo que sua senha fique comprometida, só será possível acessar sua conta de posse desse número, que além de ser diferente para cada vez que é feito o login, só é acessível num dispositivo próximo e autorizado por você.
O Google oferece um aplicativo chamado Google Authenticator (é o que eu uso – Android, iOS, Windows Phone, BlackBerry), que gera chaves aleatórias para quando você precisar acessar suas contas. É melhor que o SMS, pois às vezes você precisa acessar sua conta de um lugar onde a recepção não é boa (pense num laboratório de informática de um prédio bem fechado). Contudo, receber o número pelo SMS é mais simples, pois não envolve instalação ou abertura de qualquer aplicativo.
A segunda coisa é verificar se a sua senha foi comprometida. Há uma ferramenta que verifica em diversas bases de senhas que já vazaram se o seu email está lá. Basta acessar aqui e digitar seu endereço (tentei, mas parece que o servidor está sobrecarregado no momento). Se a sua senha tiver sido comprometida, troque imediatamente!
E a última coisa a ser feita avaliar a possibilidade de utilizar formas mais seguras de armazenar suas senhas. Existem diversas soluções por aí, das mais simples às mais complexas. A mais simples seria ativar um lembrete no calendário para trocar sua senha de três em três meses. Tente senhas não óbvias, que incluam letras minúsculas, maiúsculas, números e caracteres especiais. Desse modo fica mais difícil adivinhá-la e a troca frequente garante que, mesmo que sua senha vaze em algum momento, você já vai ter trocado para outra depois de um tempo.

Loja de aplicativos HTML5 para celulares é ideia ingênua por enquanto

Lembra quando o Steve Jobs disse pra todo mundo que o único jeito de fazer aplicativos para o iPhone seria utilizando HTML5 e o Safari? Rapidinho ele mudou de ideia. A comunidade já havia transformado o desenvolvimento de aplicativos nativos no engordurado celular um caminho sem volta. Hoje, a App Store é o que toda loja de aplicativos de celular queria ser. Pois é. Com quatro anos de lag, uma empresa anunciou o lançamento de uma loja de aplicativos em HTML5 chamada Zeewee. Outra, chamada OpenAppMkt, já tinha feito algo semelhante em julho de 2010 e imita a loja de aplicativos para o iPhone muito bem. A diferença entre as duas lojas é que a OpenAppMkt só funciona em dispositivos de Cupertino. A vantagem dessa nova loja de nome horroroso, contudo, é que os aplicativos rodam em qualquer sistema móvel que dê suporte ao HTML5, incluindo os Adroid(e)s, Symbians e TVs. Bem, é o que a empresa afirma. A loja está em fase beta há duas semanas. Sabe a Web Store do Chrome? É quase isso. A ideia é boa, mas ingênua, pelo menos por enquanto.  Continue…

Esqueça o iPad, o *celular* será o próximo PC

Você já deve ter ouvido que 2011 será o ano das tablets. E com razão. O CES termina hoje e o que mais se vê são lançamentos em todas as direções de tabletstablets e mais tablets. O PlayBook da RIM está quase pronto. O Google surpreendeu com o Honeycomb. Até o quase vaporware Notion Ink Adam deu as caras. Sério, ninguém mais aguenta ouvir falar de tablets. E parece que ninguém percebeu que o lançamento mais impressionante do CES não foi o de uma tablet.
2011 registrou algo muito mais profundo. Algo que desenha o futuro do consumo de eletrônicos a longo prazo e que não recebeu tanto destaque por causa da avanlanche de iPad-killers-wannabe.
No meio da bagunça a Motorola anunciou um curioso celular baseado no Android Froyo, chamado Atrix 4G. Curioso porque ele não é só um celular. O Atrix 4G é um celular que vira um PC. Imagine ligar um monitor, um teclado e um mouse no seu iPhone e ele carregar automaticamente o MacOSX, com todos os recursos de um desktop. É tipo isso, só que alguns anos antes disso acontecer. Continue…