Intensivão sobre a China, física com culinária e o funcionamento da medicina

Uma das maiores vantagens de saber conversar com um computador é colocá-lo para realizar tarefas imensamente tediosas. Outro dia precisei fazer a análise de um sem número de matérias publicadas na internet. Eu precisava buscar um termo no Google, clicar no link, copiar o endereço, a data, o título da matéria, lê-la e aplicá-la uma nota baseada em alguns parâmetros — preencher isso tudo em uma tabela. Fazer isso com três ou quatro, vá lá, mas com mais de duas mil matérias tomaria um tempo que ninguém tem. Há um ano, eu teria que abrir mão dessa análise simplesmente por não saber como dizer para o computador que ele, e não eu, deveria realizar essas tarefas. Tirando a parte de ler a matéria e aplicar uma nota, o restante ele faria em alguns minutos. Mas por que estou falando disso? Continue…

Esqueça o iPad, o *celular* será o próximo PC

Você já deve ter ouvido que 2011 será o ano das tablets. E com razão. O CES termina hoje e o que mais se vê são lançamentos em todas as direções de tabletstablets e mais tablets. O PlayBook da RIM está quase pronto. O Google surpreendeu com o Honeycomb. Até o quase vaporware Notion Ink Adam deu as caras. Sério, ninguém mais aguenta ouvir falar de tablets. E parece que ninguém percebeu que o lançamento mais impressionante do CES não foi o de uma tablet.
2011 registrou algo muito mais profundo. Algo que desenha o futuro do consumo de eletrônicos a longo prazo e que não recebeu tanto destaque por causa da avanlanche de iPad-killers-wannabe.
No meio da bagunça a Motorola anunciou um curioso celular baseado no Android Froyo, chamado Atrix 4G. Curioso porque ele não é só um celular. O Atrix 4G é um celular que vira um PC. Imagine ligar um monitor, um teclado e um mouse no seu iPhone e ele carregar automaticamente o MacOSX, com todos os recursos de um desktop. É tipo isso, só que alguns anos antes disso acontecer. Continue…